sábado, 29 de agosto de 2009

Aos remosos em noite de vinho

Estamos amarradas pela mesma noite em noites diferente.
No fim, ficou a culpa que não é nada. De quem é a culpa afinal? Minha? Minha?
Quero repetir a desgraça. Talvez seja esse o grande lugar do arrependimento.

2 comentários:

LiLu disse...

talvez, talvez...

Cathe disse...

Tenho um chocolate para ti no meu blog :) É um agradecimento, e um não esquecimento. *